salmos

como funciona o ar condicionado convencional e o modelo split


   O ar-condicionado é um aparelho considerado essencial   por muitos, principalmente naqueles dias em que os termômetros cravam na casa dos 40º C. Criada em 1902 pelo engenheiro mecânico norte-americano Willis Carrier, a máquina foi a primeira a conseguir condicionar mecanicamente o ar, controlando a temperatura e a umidade do ambiente. Descubra neste artigo como um aparelho do gênero refresca a sua casa e qual a diferença entre o modelo compacto tradicional e o split. Ar-condicionado foi criado em 1904 e seu sistema de funcionamento pouco mudou (Foto: Divulgação) A invenção de Carrier sofreu muitas melhorias ao longo dos anos, em relação a tecnologia de seus processos e equipamentos, de forma a reduzir o tamanho dos aparelhos, aumentar a sua eficiência e disponibilizá-los com preços mais acessíveis. O princípio de ciclo de refrigeração e tratamento do ar, no entanto, continua sendo praticamente o mesmo desde a sua invenção. Seu funcionamento é semelhante ao de uma geladeira, combinando funções de ventilação, aquecimento, circulação, arrefecimento e filtragem do ar. O trabalho do ar-condicionado começa com o seu ventilador sugando o ar do ambiente e fazendo-o passar por um conjunto de serpentinas preenchidas por uma substância líquida formada por uma mistura de cloro, flúor e carbono, chamada R-22. Ela evapora a 7°C. Ao absorver o calor do ar que vem do ambiente externo, este produto deixa seu estado líquido se transformando em um gás. Em seguida, passa por um compressor, sofrendo um aumento de pressão e aquecendo até uma temperatura aproximada de 52°C. O R-22 em estado gasoso e aquecido é mandado para um condensador na parte externa do aparelho, passando por um processo de troca de calor com o ambiente e tornando-se líquido novamente. Daí, a substância refrigerante entra em uma válvula que a faz perder pressão e retorna ao seu estado líquido inicial, reiniciando todo o seu ciclo. Durante todo este procedimento, o ar do ambiente interno para o qual o aparelho está voltado é continuamente refrigerado e sofre gradualmente uma perda de umidade, enquanto a parte externa do equipamento torna o ar mais quente e úmido. Diferenças entre os modelos Os aparelhos de ar-condicionado possuem dois sistemas de refrigeração, o de expansão indireta e o de expansão direta. aquele que explicamos acima é do primeiro tipo e é realizado por duas categorias de dispositivos: os compactos (chamados de “aparelhos de janela”) e os splits. O segundo é utilizando por modelos de ar central, em que o gás resfria a água que circula pelo aparelho. Modelo Split usa o mesmo sistema dos compactos, mas resfriamento do ar ocorre externamente, sem barulhos (Foto: reprodução/ Brastemp) O modelo de janela é compacto e reúne em uma só estrutura todo o seu sistema de refrigeração e, por isso, acaba produzindo um ruído considerável. Já os do tipo split – com a origem na palavra inglesa que significa “separado” – são compostos por duas partes distintas, chamadas de condensadora e evaporadora. Enquanto a primeira é instalada na parte externa e realiza todo o procedimento de refrigeração (fazendo todo o barulho do processo), a segunda é a responsável pelo lançamento do ar gelado no ambiente interno. Apesar de serem muito maiores e precisarem de todo um planejamento para serem instalados, os ares-condicionados splits são bem mais silenciosos. Além disto, possuem um consumo de energia em torno de 40% menor do que os do tipo compacto e ainda possuem eficiência e rendimento maiores. Porém, os aparelhos de janela ainda são os mais baratos no mercado. Comparando modelos das melhores marcas do mercado dos dois tipos de ar condicionados com 7500 BTUs, ideais para ambientes de mais ou menos 10 m², os compactos custam em torno de R$ 800,00 enquanto os splits saem por volta de R$ 1200,00. Porém, à medida em que os aparelhos de janela mantiveram o mesmo design e quase não sofreram alterações, diferentes modelos do tipo split têm sido desenvolvidos com maiores valores nas suas potências de BTUs e em estruturas com variadas formas e desenhos de suas evaporadoras, de maneira a melhor comporem e se esconderem nos ambientes que serão refrigerados. Tem dúvidas sobre tecnologia? Pergunte no Fórum do TechTudo! fonte:http://www.techtudo.com.br/artigos/noticia/2013/05/como-funciona-o-ar-condicionado-convencional-e-o-modelo-split.html

historia do ar condicionado




ar condicionado ou condicionador de ar é um equipamento que produz calor sensível (positivo ou negativo). Uma vez que o calor é trocado com o fluído em circulação, ele devolve o calor ao ambiente para aumentar ou diminuir a temperatura.

História do Ar Condicionado

Willis CarrierEm 1911 Willis Carrier utilizou as passagens de estado de um gás para obter uma variação positiva ou negativa de calor do ambiente. Carrier trabalhava em uma empresa que produzia máquinas industriais.
Depois de um ano de trabalho, Willis Carrier foi encarregado de resolver o problema de controle de umidade no ar em uma tipografia de Brooklin, onde o papel ficava inutilizável por causa da excessiva umidade do ar.
Naquela época, para resolver esse problema eles aumentavam a velocidade do ar ou simplesmente abriam as janelas. Carrier terminou o seu projeto de ar condicionado no dia 17 de julho do ano de 1912. A tecnologia que foi usada é muito similar ao ar condicionado que achamos no comércio hoje em dia.
O termo ar condicionado ou condicionador de ar vem de Stuart W. Cramer que como Carrier se interessou ao estudo da umidade e condicionamento do ar.

Funcionamento e detalhes da construção do Ar Condicionado

Ciclo Ar CondicionadoEsquema de uma bomba de calor:
  1. Condensador (lado quente)
  2. Válvula de expansão
  3. Evaporador (lado frio)
  4. Compressor
O funcionamento de um ar condicionado se baseia na utilização de um ciclo termodinâmico.
O ar condicionado é constituído dos seguintes elementos:
  • Compressor
  • Condensador
  • Evaporador
  • Órgão de laminação
Para completar o equipamento, além dessas partes, o condicionador de ar precisa de um gás que tem a função de fluído termo vetor.
Os gases mais utilizados no ar condicionado são:
  • R12 ar condicionado industrial
  • R22 ar condicionado residencial
  • R407 ar condicionado residencial
Existem uma série de componentes e acessórios que servem para completar o funcionamento do condicionador de ar, por exemplo: válvulas, pressostato, ventilador, termostato, controle remoto, sondas, placas eletrônicas.

Aspectos do Ar Condicionado

Os aparelhos de ar condicionado podem ser constituídos de duas unidades, uma unidade interna e uma unidade externa. Entre as duas unidades tem canos de cobre, as conexões de controle e o comando elétrico. As duas unidades que compõem o ar condicionado precisam de um dreno para a água que se forma por condensação.

Tipos de Ar Condicionado

Só frio e bomba de calor

Os ar condicionados se dividem em duas famílias:
  • Só para o frio
  • Os chamados Bomba de calor
A principal diferença é que o ar condicionado tipo bomba de calor, além de refrescar no verão, também pode aquecer no inverno, apenas invertendo o ciclo de funcionamento.

On-off e inverter

Mais uma distinção pode ser feita segundo o funcionamento do ar condicionado, separando em duas famílias:
  • Condicionador de ar on-off
  • Condicionador de ar à inverter
A tecnologia do ar condicionado on-off é mais simples e barata, mas consome mais energia porque quando se liga, ele utiliza a potência máxima, sem levar em consideração a potência que realmente é necessária para resfriar o ambiente.
O aparelho de ar condicionado à inverter tem uma tecnologia que modula, ou seja, se diminui a potência em função do resfriamento, até chegar ao mínimo necessário para manter a temperatura desejada no ambiente. Essa tecnologia proporciona uma grande economia de energia.
Se o ar condicionado será utilizado para muitas horas seguidas, vale mais a pena comprar um aparelho à inverter. Se o ar condicionado for para curtos períodos de tempo, vale a pena comprar o ar condicionado on-off, pois o maior custo do ar condicionado à inverter não compensa.

A Potência do Ar Condicionado (BTU)

potência do ar condicionado ou condicionador de ar é sempre medida em BTU (British Thermal Unit - Unidade Térmica Britânica)/h ou Frigoria/h.

lg traz novidades

Outra aposta da LG fica por conta dos modelos de ar condicionado residencial – Split Libero ARTCOOL, com ionizadorPlasmaster, responsável por emitir íons negativos no ambiente, o que detecta e elimina grande parte dos agentes causadores de crises alérgicas; e Split Líbero E+, com o melhor custo-benefício da categoria com a tecnologia Inverter. No segmento de ar condicionado comercial, a LG apresenta o Multi V IV, considerado o sistema de ar condicionado com tecnologia VRF que propicia os melhores índices de eficiência energética existentes no mercado; o  Multi F, que  apresenta benefícios de um aparelho Inverter, destacando-se por ser até 40% mais eficiente quando comparado aos sistemas convencionais; e o Split Cassete, que oferece distribuição mais agradável e uniforme do ar e baixo nível de ruido.

Geleiras do Ártico canadense podem estar sofrendo derretimento sem volta, diz estudo

DA REUTERS

As geleiras canadenses, terceiro maior depósito de gelo depois da Antártida e da Groenlândia, podem estar sofrendo um derretimento sem volta que deve aumentar o nível do mar, afirmaram cientistas nesta quinta (7).
Cerca de 20% das geleiras no norte do Canadá podem desaparecer até o fim do século 21, num derretimento que pode acrescentar 3,5 cm aos nível do mar.
Reuters
Geleira canadense fotografada por avião da Nasa em 2011
Geleira canadense fotografada por avião da Nasa em 2011
"Acreditamos que a perda de gelo é irreversível no futuro próximo", escrevem os pesquisadores na revista "Geophysical Research Letters"
A tendência parece irreversível, dizem os autores, liderados por Jan Lenaerts, da Universidade de Utrecht, porque o derretimento de geleiras brancas exporia a tundra escura que tende a absorver mais calor e acelerar o derretimento.
O painel do clima da ONU estima um aumento do nível do mar entre 18 cm e 59 cm neste século, ou mais se a cobertura de gelo da Antártida e da Groenlândia começarem a derreter mais rápido.
A projeção de perda de 20% do volume de gelo no Canadá se baseou em um cenário com aumento de temperatura médio de 3ºC neste século e de 8ºC no Ártico canadense, dentro das previsões da ONU.
http://www1.folha.uol.com

temperatura da terra


Terra se aproxima de maiores temperaturas em 11 mil anos

SALVADOR NOGUEIRA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Um novo estudo conduzido por pesquisadores da Universidade Estadual do Oregon e da Universidade Harvard, ambas nos EUA, reconstruiu a temperatura média da Terra nos últimos 11,3 mil anos para compará-la aos níveis atuais.
A boa notícia: a Terra hoje está mais fria do que já esteve em sua época mais quente desse período. A má: se os modelos dos climatologistas estiverem certos, atingiremos um novo recorde de calor até o final do século.
O trabalho, publicado na revista "Science", reuniu dados de 73 localidades ao redor do mundo para estimar a temperatura global (e local) no período geológico conhecido como Holoceno, que começou ao final da última era do gelo, há 11 mil anos.
Depois de consolidar todas as informações, em sua maioria provenientes de amostras de fósseis em sedimentos oceânicos, num único quadro --além de usar técnicas matemáticas para preencher os "buracos" encontrados nas diversas fontes usadas para estimar a temperatura no passado--, os cientistas puderam recriar uma "pequena história da variação climática da Terra".
Diz-se pequena porque os resultados não permitem enxergar a variação ocorrida em uns poucos anos. É como se cada ponto nos dados representasse a temperatura em um período de 120 anos.
Editoria de arte/Folhapress
A HISTÓRIA
Os dados confirmam uma velha desconfiança dos cientistas: a de que a Terra passou por um período de aquecimento que começou cerca de 11 mil anos atrás. Em 1,5 mil anos, o planeta esquentou cerca de 0,6ºC e assim se estabilizou, durante cerca de 5.000 anos.
Então, 5,5 mil anos atrás, começou um novo processo de esfriamento --que terminou há 200 anos, com o que ficou conhecido como a "pequena era do gelo". O planeta ficou 0,7ºC mais frio.
Entram em cena a industrialização acelerada e o século 20. O planeta volta a se esquentar. No momento, ele ainda não bateu o recorde de temperatura visto no início do Holoceno, mas já está mais quente que em 75% dos últimos 11 mil anos.
Assim, o estudo confirma que a temperatura da Terra está subindo em tempos recentes e mostra que a subida é muito mais rápida do que se pensava.
"Essa pesquisa mostra que já experimentamos quase a mesma faixa de mudança de temperatura desde o início da Revolução Industrial que foi vista nos 11 mil anos anteriores da história da Terra --mas essa mudança aconteceu muito mais depressa", comenta Candace Major, diretor da divisão de Ciências Oceanográficas da Fundação Nacional de Ciência dos EUA, que financiou o estudo.
Por outro lado, a baixa resolução temporal do estudo (é impossível distinguir efeitos de poucos anos) dificulta a comparação com o atual fenômeno de aquecimento.
Para a mudança climática atual se tornar relevante na escala de tempo analisada pelo modelo de reconstrução dos últimos 11 mil anos, ela precisa continuar no próximo século. Segundo os modelos do IPCC (Painel Intergovernamental para Mudança Climática), da ONU, é isso que vai acontecer.
Contudo, ainda há incertezas sobre a magnitude do fenômeno. De toda forma, mesmo pelas estimativas mais otimistas, quando chegarmos a 2100, se nada for feito, provavelmente estaremos vivendo o período mais quente dos últimos 11 mil anos.

fonte:http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/1242703-terra-se-aproxima-de-maiores-temperaturas-em-11-mil-anos.shtml

sistemas de refrigeração


9. Sistemas de Refrigeração

Variação de temperatura é um dos principais fatores que contribuem para o envelhecimento de circuitos integrados, sendo assim, todo e qualquer equipamento eletrônico em um site de telecomunicações terá sua vida útil drasticamente reduzida caso esta variável de ambiente não seja adequadamente controlada. Logo é de fundamental importância projetar e dimensionar um sistema de refrigeração que seja capaz de trocar a energia térmica do ambiente interno com a do ambiente externo, sendo que a troca de calor deve ocorrer em uma velocidade adequada a manter a temperatura interna sobre níveis aceitáveis para o correto funcionamento dos equipamentos.

9.1 Variáveis de ambiente

9.1.1 Sala

A sala onde serão localizados e instalados os equipamentos é talvez uma das variáveis de maior peso no dimensionamento de um sistema de refrigeração. Nesta etapa, vários elementos devem ser levados em consideração:
  • Área e pé-direito da construção
    • A área e o pé-direito da sala servirão para calcular o volume de ar no interior do recinto, este volume de ar deve ser constantemente renovado pelo equipamento de refrigeração.
    • Área média das paredes também é uma informação importante para fazer o dimensionamento.
  • Localização da construção
    • O fato de a sala estar localizada no subsolo ou entre 2 andares de um prédio fará com que ela receba um índice de radiação solar inferior aquele em que ela estivesse apenas revestida por uma lage e um telhado.
  • Material constituinte das paredes
    • O material que constitui as paredes da construção irá influenciar diretamente na taxa de transmissão de energia térmica entre os ambientes interno e externo.
  • Portas e Janelas
    • Portas e janelas são compostos por materias distintos daqueles utilizados na construção, sendo assim, a transmissão de energia térmica através destes se dá a uma taxa diferente da ocorrida nas paredes da construção.

9.1.2 Ambiente

A temperatura externa do ambiente possui muita influência no sistema de refrigeração, assim como a temperatura interna desejada para o ambiente. Quanto maior for a diferença entre a temperatura interna e externa maior será o trabalho executado pelo sistema de refrigeração.

9.1.3 Equipamentos

Os equipamentos a serem instalados no interior da sala irão dissipar uma certa quantidade de energia por unidade de tempo o que acabará por elevar a energia térmica contida no interior da sala. O trabalho executado pelo sistema de refrigeração é o de "retirar" esta energia térmica do ambiente evitando que a temperatura suba a níveis que possam causar danos a estrutura dos circuitos integrados dos equipamentos, sendo assim, é fundamental conhecer a potência em Watts (W) total, dissipada por todos os equipamentos no ambiente.

9.1.4 Pessoas

Esta variável de ambiente nem sempre é lembrada, mas seres humanos também irradiam calor e caso existam pessoas trabalhando longos períodos no interior de uma sala refrigerada, o calor emitido pelos seus corpos transmitirá uma energia térmica considerável ao ambiente. É interessante comentar que em média o metabolismo de uma mulher adulta corresponde a 85% do de um homem adulto, já o metabolismo de uma criança corresponde a 75%.

9.2 Carga térmica

Definição:
"Carga térmica é quantidade total de calor que deve ser removida pelas serpentinas de refrigeração para manter as condições desejadas e a temperatura dentro de um compartimento "
Fonte: Refrigeração e condicionamento de ar, Training Publications Division
De posse de todas as variáveis de ambiente, é possível estimar a carga térmica (Thermic load) do ambiente que é expressa em Kcal/H, e a partir dela podemos calcular a potência em BTUs de um equipamento de ar-condicionado.

9.3 Exemplo de dimensionamento de um sistema de refrigeração

Condições de simulação:
  • Sala
    • Área = 9m²
    • Pé direito = 2,80m
    • Localizada no 2º andar de um prédio de 3 andares
    • Área média das paredes = 8,50m²
    • Paredes compostas de 1 único tijolo maciço.
    • 1 x Janela de 1,4m² sem nenhum tipo de cortina ou material para bloquear a radiação. Esta janela recebe radiação solar na parte da tarde.
    • 1 x porta de 1,5m² feita de madeira.
  • Ambiente
    • Temperatura externa = 25ºC
    • Temperatura interna desejada = 19ºC
  • Equipamentos
    • Potência total dissipada = 1200W
  • Pessoas
    • 1 funcionário do sexo masculino, trabalhando em tempo integral.
A partir destas informações, vamos utilizar o módulo de sistemas de refrigeração do Jubarte para dimensionar a potência do ar-condicionado necessário para refrigerar este ambiente, é sempre bom lembrar que é aconselhável considerar uma margem de segurança de 10% e também manter uma margem para futuras expansões e/ou substituições de equipamentos.
m5f07e906
Figura 29 - Dimensionamento de ar condicionado

tubos de aluminio estão substituindo os de cobre

Tubos de alumínio estão substituindo os de cobre na refrigeração Como já vimos, a instalação de um ar condicionado split pode, em alguns casos, custar mais do que o próprio aparelho. E isso não acontece apenas com os splits – vários outros equipamentos de refrigeração também podem ter custos elevados de instalação. Tais custos levaram muitas empresas a procurar soluções para reduzi-los. Uma dessas soluções, que cada vez ganha mais espaço na instalação de ar condicionados splits, é a substituição dos tubos de cobre por outros, feitos de alumínio. Por o alumínio ser um mineral muito mais abundante na crosta terrestre do que o cobre e bem mais leve (aproximadamente 30% do peso cobre), é natural que seu preço seja bem menor. A vantagem, em termos de custo, é clara: enquanto um rolo de tubo de cobre flexível de ¼ custa em torno de R$ 64,14, o rolo de tubo de alumínio, com a mesma bitola sai a R$ 23,11 – uma economia de aproximadamente 64% em tubulação ao se usar o alumínio ao invés do cobre. O tubo de alumínio pode ser usado perfeitamente no lugar do de cobre mas requer alguns cuidados no manuseio, que veremos abaixo. O tubo de alumínio vem substituindo o cobre na refrigeração Cuidado ao trabalhar com tubos de alumínio Limpeza das ferramentas de tubulação A poeira residual do cobre presente nas ferramentas pode causar furos ao penetrar na tubulação de alumínio. Por isso o instalador deve limpar cuidadosamente as ferramentas de tubulação (flangeador, curvador, cortador de tubos, etc..) de modo a deixá-las sem poeira de cobre. Pode-se fazer essa limpeza com palhas de aço e detergentes comuns. Idealmente o instalador deveria ter um conjunto de ferramentas de tubulação para cobre e outro para o alumínio. No entanto, isso requer investimento, que muitas vezes grande parte dos instaladores não tem condição de fazer. Limpando bem as ferramentas ele conseguirá utilizá-las tanto em tubos de cobre quanto de alumínio, sem causar furos nesses últimos. Contato entre o alumínio e o latão de conexões Na região de contato entre o alumínio e as conexões de latão (porcas, emendas, niple, etc..) em presença do ar atmosférico pode ocorrer o fenômeno chamado corrosão galvânica. A solução é evitar o contato do alumínio com o latão e o ar através de fita PVC, tinta, etc. A corrosão galvânica só ocorre na presença do ar atmosférico. Por isso apenas na parte em que exista presença de ar deve-se evitar o contato direto do alumínio e do latão. Dessa forma, não há motivo para se preocupar com a possibilidade de corrosão galvânica no interior da conexão. Já a parte mais externa, essa sim deve ser isolada – veja a figura abaixo. É necessário isolar o alumínio do latão em presença do ar atmosférico para evitar a corrosão galvânica Fabricantes de tubo de alumínio para uso na refrigeração Dentre os principais fabricantes de tubos de alumínio para uso na refrigeração podemos citar a Hydro e a Belmetal. Share on linkedinShare on facebookShare on twitterShare on emailMore Sharing Services

fonte:http://www.arcondicionado.refrigeracao.net/

Leia tambem



Porque a Manutenção Preventiva diminui sensivelmente a ocorrência de problemas nos aparelhos de ar condicionados e em suas instalações.
Somente com a manutenção preventiva é possível identificar previamente e realmente prevenir diversos problemas futuros.
Fazendo a manuteção preventiva, você aumenta a sua segurança, reduz vários custos e aumenta a vida útil dos aparelhos de ar condicionado, além de melhorar a produtividade dos mesmos.


Vantagens de fazer a manutenção preventiva no seu ar condicionado:
A manutenção prolonga a vida útil do seu aparelho de ar condicionado residencial;
Uma boa manutenção mantém os aparelhos limpos, evitando a concentração de fungos e bactérias;
Manutenção periódica evita em muito as quebras repentinas, reduzindo o custo com troca de peças;
Reduz do consumo de energia, uma vez que o ar condicionado trabalha sem obstruções e impurezas;
Melhora significativamente a qualidade do ar nos ambientes;
Na manutenção de sistemas de ar condicionados comerciais é altamente recomendável a limpeza e higienização dos filtros e dutos para controlar a qualidade do ar interior.

Para garantir uma boa manutenção do seu ar condicionado, agende sempre com uma empresa que tenha mão de obra especializada.